Vital - Escola Secundária das Laranjeiras

 

«VitaL»:
A vida que é vida

EDITORAL (1ª EDIÇÃO)

Para ser homem não basta nascer, é necessário também aprender - afirma Fernando Savater em O Valor de Educar. É, portanto, necessário fazer com que a humanidade, traço com que nascemos, disponha de condições para se desenvolver. Nascemos para ser homens: sê-lo-emos na justa medida em que nos abrirmos a essa possibilidade.
Ser humano implica, pois, uma aprendizagem. Esta requer, contudo, condições para se efetivar. Obriga, lembra-nos Savater, a desenvolver relações com os outros, pois conhecer é dominar o significado que os outros atribuem às coisas. Aprender pressupõe, então, sairmos de nós próprios.
A escola é, consequentemente, o lugar onde as relações entre sujeitos acontecem. As viagens proporcionadas pela escola no mundo do outro, os laços que criam e consolidam, não fazem dos alunos seres estereotipados. Pelo contrário, é função da escola, enquanto instituição educativa, desfazer os nós que impedem o desabrochar do eu singular, irrepetível, que em nós existe.
Este é, sem dúvida, o objetivo que a Escola Secundária das Laranjeiras se propôs atingir já lá vão 25 anos. No caminho seguido, também foi aprendendo a Ser. O cunho que lhe foram imprimindo todos quantos por ela passaram é certamente reconhecido.
VitaL, cujo primeiro número hoje se publica, fará eco do seu pulsar, pois, como o sugere o título deste suplemento, será o porta-voz da vida (vita) da Escola Secundária das Laranjeiras (L), daquilo que, alimentando-a, lhe é vital.